segunda-feira, 26 de junho de 2017

Greve Geral em 30 de junho


DIA 30 DE JUNHO VAMOS PARAR O BRASIL

A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo reunidas no dia 23 de junho em São Paulo reafirmam seu apoio às greves e mobilizações convocadas para o dia 30 de junho contra a reforma trabalhista e em defesa dos direitos e da aposentadoria.

Repudiamos a reforma trabalhista que está tramitando no Senado Federal (PLC38/2017) porque ela rasga a CLT, amplia a precarização do trabalho, condena o/a trabalhador/a viver de bico, fragiliza a sua organização, a negociação coletiva, além de dificultar o acesso à Justiça do Trabalho.

A reprovação do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, no dia 20 de junho, foi uma derrota do governo ilegítimo e demonstrou que temos condições de barrá-la.

Este foi o resultado da pressão que estamos fazendo desde o início do ano nas bases eleitorais dos parlamentares e das ações de massa que promovemos que se intensificaram em março (nos dias 08, 15 e 3) e que culminaram com a histórica greve do dia 28 de abril e com a expressiva ocupação de Brasília, realizada no dia 24 de maio.

A continuidade do governo Temer ou a sua substituição por outro ilegítimo, indicado indiretamente pelo Congresso significam a continuidade da agenda de retrocessos. Por isso exigimos a retomada da democracia com a saída imediata de Temer e com a realização de eleições diretas.

As frentes reforçam a prioridade à agenda de lutas e orientam as seguintes ações para parar o Brasil no dia 30:

- Realizar reuniões e assembleias preparatórias conjuntas nos municípios para organizar as ações;

- Paralisar a circulação em locais de impacto e visibilidade desde as primeiras horas do dia;

- Apoiar os trabalhadores/as na paralisação dos seus locais de trabalho.

- Realizar no período da tarde atos unitários e massivos em todo o país.

Contra a Reforma Trabalhista! Em defesa da aposentadoria e dos direitos!

Fora Temer!

Diretas Já!

Frente Brasil Popular
Frente Povo Sem Medo

segunda-feira, 19 de junho de 2017

AE-CE debate conjuntura e planos


A Articulação de Esquerda, tendência petista, convida sua militância e simpatizantes a participarem do Ato político de abertura de seu Planejamento estadual, com a Mesa-redonda: Crise Política e Saídas à Esquerda. O evento aberto a convidados/as ocorrerá na próxima sexta-feira, 23 de junho, às 18h, no auditório do SindPD (Av. Tristão Gonçalves, 1250 - Centro). Contamos com a sua presença!

#ForaTemer
#DiretasJá

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Revista Esquerda Petista nº 7

Saiu a sétima edição da revista Esquerda Petista. Leia aqui


Editorial

O Partido precisa mudar

Esta edição da revista Esquerda Petista está circulando, em versão digital, na véspera do 6º Congresso Nacional do PT, convocado para os dias 1 a 3 de junho de 2017, em Brasília (Distrito Federal).

(...)

É fato que a maior parte da esquerda, dentro e fora do PT, viu-se obrigada a concentrar-se sua atenção em questões táticas de grande importância, inclusive estratégica, tais como as contrarreformas da previdência e trabalhista, a luta pelo Fora Temer e pelas Diretas Já, a defesa do Partido e de Lula contra a perseguição judicial etc.

Mas a crise causada pelas denúncias contra Aécio e Temer evidenciou, uma vez mais, a conexão entre as questões táticas e alguns dilemas estratégicos. Dentre estes dilemas, citamos um que nos parece fundamental: a crise que o país vive pode ser solucionada através de uma negociação entre as partes em conflito? Ou a crise que o país vive exige uma derrota profunda de uma das partes em conflito?

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Camilo: Hora de DECIDIR


Petistas cobram posicionamento de Camilo por Diretas Já! contra o golpe

Militantes petistas no Ceará escrevem uma Carta aberta ao governador Camilo Santana e exigem que o Diretório Estadual do PT-CE abra discussão sobre as posições do governante que destoam das resoluções partidárias. O manifesto está sendo lançado neste momento no 6º Congresso Nacional do PT e está aberto a novas adesões


CARTA ABERTA AO GOVERNADOR CAMILO SANTANA E À MILITÂNCIA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

Fortaleza, 31 de maio de 2017

As recentes declarações públicas do governador Camilo Santana a respeito da admissão de eleições indiretas, e, nessa hipótese, de sua simpatia com relação ao nome do senador Tasso Jereissati, veiculadas na imprensa nos últimos dias, impõem ao Partido dos Trabalhadores um posicionamento público dirigido à sua militância.

Em primeiro lugar, porque divergem, mais uma vez, frontalmente, das resoluções partidárias, que, em sintonia com nossa base social e com a opinião pública, posicionaram-se oficial e claramente, conclamando-nos e à sociedade a uma grande mobilização pelas Diretas Já!, tal como se decidiu nos recentes Congressos Estaduais do PT e em reunião do Diretório Nacional.

A presente manifestação se impõe por já não se tratar da primeira oportunidade em que as posições pessoais do governador divergem pública e frontalmente das do partido, ou, pelo menos, da opinião majoritária de sua militância, em questões centrais da política.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

6º Congresso Nacional do PT acontece em Brasília


Evento reúne mais de 600 delegados, entre dias 1 e 3 de junho, em Brasília

O Partido dos Trabalhadores realiza, a partir desta quinta-feira 1º de junho, o “6º Congresso Nacional do PT – Marisa Letícia Lula da Silva“. O evento acontece no Centro de Eventos Brasil 21, em Brasília e elegerá, além do novo presidente do partido, os novos integrantes da Executiva Nacional e do Diretório Nacional do PT.

O evento reunirá 600 delegados e delegadas de 26 Estados e do Distrito Federal, além de membros do Diretório Nacional, presidentes estaduais do PT, governadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos(as), vice-prefeitos(as), vereadores(as) e convidados internacionais.

A delegação cearense já se encontra em Brasília. O advogado e ex-vereador de Fortaleza, Deodato Ramalho, eleito pela chapa "Unidade pela Reconstrução Socialista", representa a seção estadual da Articulação de Esquerda junto à delegação nacional da tendência. O evento também contará com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta eleita Dilma Rousseff.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

FBP: Diretas Já e Plano nacional


Lançado o Programa para derrotar o golpe e sair da crise

Em ato realizado na noite desta segunda-feira (29), no Tuca, teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), a Frente Brasil Popular (FBP) lançou o "Plano Popular de Emergência" – uma agenda de recuperação econômica do país a ser implementada após o afastamento do presidente Michel Temer e que prevê eleições diretas para definir sua sucessão, com o restabelecimento da democracia.

Participaram do evento políticos, intelectuais, artistas e representantes dos movimentos populares. Na plateia, professores e estudantes da PUC, além de militantes dos diversos movimentos e partidos.

O documento foi elaborado pelas organizações que compõem a Frente Brasil Popular com o objetivo de construir uma alternativa programática, que devolva a normalidade democrática ao país e caminhe rumo à superação das crises econômica, política, social e ambiental, garantindo os direitos do povo trabalhador.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Nova GREVE GERAL em junho


As centrais sindicais aprovaram nesta segunda-feira (29) a realização de uma nova greve geral, contra as reformas e o governo Temer, no final de junho, em data a ser definida, mas que ficará entre os dias 26 e 30 do mês que vem. Embora alguns defendam 48 horas, o mais provável é que seja escolhido apenas um dia. A decisão deve sair na próxima segunda-feira (5), quando os dirigentes voltarão a se reunir, em São Paulo. Eles prometem um movimento mais amplo que o registrado em 28 de abril.

Na tarde de hoje, representantes de nove centrais se reuniram na sede da CTB, na região central de São Paulo, para avaliar a marcha a Brasília na semana passada e definir as próximas ações contra as reformas. Além da manutenção do "Fora Temer", a preocupação é impedir a tramitação das propostas no Congresso, mesmo com uma possível saída do presidente, que poderia ser substituído em uma eleição indireta.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ruptura popular ou golpe dentro do golpe


Texto elaborado pelo secretariado nacional da tendência petista Articulação de Esquerda, como subsídio aos debates de conjuntura prévios ao 6º Congresso Nacional do PT

No dia 17 de maio de 2017, o sonho do PSDB parece ter ido a pique. Segundo este sonho, Temer faria o serviço sujo, as eleições de 2018 seriam vencidas por um dos tucanos históricos, o país voltaria a crescer, devidamente alinhado com os EUA, sem espaço para “lulopetismos” e com o “custo Brasil” (leia-se: salários e direitos) devidamente arrochado.

O torpedo foi disparado pela Procuradoria Geral da República e pelas Organizações Globo, ao divulgarem o diálogo criminoso entre titulares da empresa JBS e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Se tivesse ficado nisso, poderíamos estar diante de uma jogada calculada: sacrificar Aécio, para tentar dar credibilidade a um “ataque final” contra Lula. Acontece que divulgaram também um diálogo criminoso mantido por Michel Temer. E junto com os diálogos vieram fotos e filmes de assessores carregando malas de dinheiro.

Há quem diga que, incapaz de fazer frente a crescente mobilização popular -- que teve na greve de 28 de abril um ponto destacado -- Temer deixara de ser funcional para o golpismo. Mas, qualquer que tenha sido a motivação original da PGR e da Globo, a situação ganhou vida própria, afetando o PSDB, ampliando a rejeição contra Temer, mudando o patamar da crise que vive o país e aprofundando a polarização, tendência que deve aprofundar-se, inclusive durante e depois da próxima eleição presidencial, quem quer que vença.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Notas da Executiva Nacional do PT

Reunida na capital do Paraná, Executiva Nacional do PT aprova notas em defesa de Lula e contra medidas antipopulares. Vídeo: Marcha do MST toma as ruas de Curitiba (Brasil 247):



A Comissão Executiva Nacional (CEN) do Partido dos Trabalhadores, reunida em Curitiba nesta terça-feira (09), véspera do depoimento de Lula, aprovou as duas notas a seguir:

Defender Lula é defender a democracia

A Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores, reunida em Curitiba, saúda os movimentos populares e sindicais, a Frente Brasil Popular, e a militância que se dirige à capital paranaense em defesa da democracia e da Justiça.

Nos últimos três anos, o ex-presidente Lula sofreu uma verdadeira devassa em sua vida pessoal, com acusações de todos os tipos, sem que qualquer prova tenha sido apresentada contra ele. Isso caracteriza uma perseguição própria de um estado de exceção, em que são suprimidas garantias e direitos individuais previstos na Constituição brasileira e em tratados internacionais.

O povo brasileiro assiste indignado e atônito ao processo de criminalização da política e desmonte de políticas públicas e direitos conquistados pela população brasileira ao longo dos últimos 50 anos.

Conclamamos a sociedade a continuar mobilizada para que possamos restabelecer a ordem democrática e impedir os retrocessos das políticas sociais.

Defender Lula é defender a democracia e os direitos do povo brasileiro.

Curitiba, 9 de maio de 2017
Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores

segunda-feira, 8 de maio de 2017

#OcupaBrasília para barrar reformas


Devido o anunciado adiamento da votação da reforma da Previdência, a agenda de mobilização também sofreu alterações

As Centrais Sindicais após reunião na segunda-feira (08), resolveram alterar as datas da nova iniciativa de pressão contra as Reformas da Previdência e Trabalhista. Em função do anúncio do adiamento da votação, as entidades remarcaram a semana “Ocupa Brasília”, para os dias 22 e 26 de maio.

Durante encontro, realizado na semana passada, na sede nacional da CUT, os dirigentes sindicais fizeram um balanço positivo da Greve Geral do último dia 28 de abril. “Nós trouxemos o Brasil inteiro para a luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora. O movimento sindical brasileiro é absolutamente vitorioso na história das conquistas da classe trabalhadora e nós vamos continuar defendendo os trabalhadores. Por isso exigimos a retirada das reformas”, afirmou Vagner Freitas, presidente da Central.

O Secretário Geral da CUT, Sérgio Nobre, anunciou a programação para as próximas semanas e destacou o movimento “Ocupa Brasília”, que será organizado pelas centrais sindicais. De 22 à 26 de maio, haverá uma vasta programação na capital federal, com apoio de diversos movimentos sociais, e um dia de marcha da classe trabalhadora sobre Brasília, que deve terminar no Congresso Nacional.